Palestra “O papel da boca na saúde do nosso corpo”
Janeiro 16, 2020
Domínio de Autonomia Curricular 1º ano – Reciclar – Letra R
Fevereiro 3, 2020

Domínio de Autonomia Curricular 3º ano – O passado local

Português – Lemos os texto narrativo “Monumentos portugueses” e fizemos a revisão dos sinónimos e dos antónimos. Lemos e interpretámos a “ Lenda da minha cidade” e revimos os pronomes pessoais. Analisámos e resumimos as biografias: de Luísa Todi, Bocage e abordámos os tempos verbais.

Estudo do meio – Realizámos uma visita de estudo ao centro histórico de Setúbal. Fizemos trabalhos de grupo sobre: factos importantes do passado local; vestígios do passado; símbolos locais (brasão, bandeiras) e costumes e tradições locais.

Matemática – Durante a visita de estudo ao centro da cidade identificámos simetrias, círculo e circunferências em ruas e edifícios da cidade.

Educação Artística – Artes Visuais – Desenhámos a imagem de Luísa Todi à vista e posteriormente através de uma simetria apresentada.

Expressão Dramática – Dramatizámos ações e /ou objetos, utilizando objetos de Bocage (pena para escrita) e de Luísa Todi (Harpa).
Mus&Cultura – Aprendemos canções tradicionais da região de Setúbal: A Toada da Beira Mar (Troino).
Instrumento – A professora de Flauta, Margarida Quítalo, tocou com um aluno do 4º ano a música – A Toada da Beira Mar, que aprendemos em Mus&Cultura.

Música – Aprendemos a Cantata de Jorge Salgueiro – “O Conquistador”
A Cantata O Conquistador é baseada na biografia de D. Afonso Henriques e suas peripécias, nas suas desavenças com a sua mãe (D. Teresa), no seu aio fiel (Egas Moniz) e nas suas mulheres (a legítima D. Mafalda e… as outras). Esta cantata poderia contar uma encantadora história de ficção mas, por “coincidência”, apresenta-nos de uma forma bem disposta e acessível a todas as idades a história da fundação de Portugal. Contada (e cantada) por 4 cantores e uma orquestra sinfónica, é mais uma das entusiasmantes obras didáticas de Jorge Salgueiro.
O género musical representado – cantata – permite-nos abordar a sistematização das vozes humanas, uma vez que as 4 personagens principais estão escritas para 4 tipos de vozes diferentes (soprano, contralto, tenor e baixo). Esta cantata em concreto promove o reforço da sistematização da orquestra por famílias uma vez que a sua instrumentação se baseia na organização sinfónica tradicional. Procura-se assim que fiquemos a saber distinguir as vozes presentes, a conhecer a orquestra, os seus instrumentos e a sua classificação e, claro está, um pouco do princípio da nossa história enquanto país!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.