Como ajudar a criança a aprender a ler e a estudar

Domínio de Autonomia Curricular – 2º ano – A família
Novembro 18, 2019
3º ano Domínio de Autonomia Curricular – O nosso Corpo
Novembro 20, 2019

Como ajudar a criança a aprender a ler e a estudar

Aprender a escrever

Aprender a ler e escrever é dos maiores desafios da infância.

As crianças não só devem estar cognitivamente aptas para aprender, como também emocionalmente disponíveis.

A maturidade para aprender não chega a todos ao mesmo tempo. Nestas idades, 12 meses ainda faz muita diferença no desenvolvimento cognitivo e emocional. Por isso, é importante ir avaliando os recursos cognitivos que a criança apresenta (no momento) e perceber a sua disponibilidade para os usar.

Aprender a ler e a escrever é um processo neurológico (descodificação dos sons), visual, auditivo, cognitivo e emocional na base.

O fator emocional é muitas vezes esquecido mas é muito importante! A disponibilidade para aprender é essencial.  Ganhar gosto e coragem para crescer são dois fatores que precisam de ser estimulados.

Como podem ajudar?

Geralmente, as crianças tentam “adivinhar” as palavras. Umas vezes com maior pertinência, pois fazem-no baseando-se no tamanho e letras que as compõem. Por outro lado, noutras alturas fazem sugestões nas quais não imprimiram reflexão. Isto é normal.

Nesta fase é importante contrariar a vontade de ler rápido, como os crescidos, fazendo o processo “ao contrário”: separando palavras em sílabas menores e montando termos completos aos poucos.

Dica: Sugiro que lhes peçam que identifiquem as letras individuais e tentem sílabas, antes de ler a palavra inteira. Com esta estratégia, a criança deve ler um termo, marcando o som de cada letra individual, em vez de tentar interpretar tudo de uma só vez.

Nada de pânico!

A leitura é dividida em duas partes principais: a descodificação/leitura em si e a compreensão do seu significado.
É normal que eles não reconheçam/entendam o que está escrito logo de imediato, apesar de reproduzirem vocábulos muito aproximados em termos de som ao pretendido.

 

Os trabalhos de casa

Por vezes, esta fase pode fazer com que os trabalhos de casa sejam muito cansativos, pela diversidade e quantidade de exercícios que cada ficha oferece:

  • Relembro que o trabalho de casa deve ser feito em 40-45 min. ou em dois períodos de 25-30 min. com uma pausa de 10 min.
  • Se sentirem maior dificuldade/resistência num determinado tipo de tarefa, vão alternando com outros exercícios.
  • Pontualmente, não tem problema que deixem um ou outro exercício por resolver, especialmente nesta fase inicial.

 

Claro que todos temos dias em que estamos mais ou menos focados. No entanto, se repetidamente os trabalhos ficarem incompletos ou caso se verifique uma resistência/indisponibilidade para este tipo de tarefas, fale com o professor que está sempre ao dispor para ajudar a gerir a situação.

Guia para pais e encarregados de educação

Aprender a português

Aprender a português

Aprender matemática

Aprender matemática

Aprender a estudar

Aprender a estudar

Mónica Santos, professora 1º ano, Academia Luisa Todí

Fontes:

“Os fantásticos: Guia para pais e encarregados de educação” – Gailivro
Baseado numa publicação da Dr.ª Vera Cunha

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.